sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Eddie - Carnaval no Inferno (2008)

De todas as bandas do cenário musical pernambucano, provavelmente, a banda Eddie é uma das mais requisitadas, tocadas e influentes (pelo menos em Recife e Olinda). Ok! Nação Zumbi é foda. China e Mombojó também são. Mas quem já foi para um show da Eddie sabe do que eu tô falando. Os caras agitam pra caralho e as músicas deles são muito com sua batida já de marca registrada, a voz grave do Fábio Trummer, os metais soando forte nas músicas e (o que nunca e nem pode faltar) a participação especial do grandioso Erasto Vasconcelos.

Agora os caras tão lançando álbum novo produzido pelo próprio Fábio e por Buguinha. O disco está recheado de participações especiais dentre elas a de Curumin tocando bateria nas faixas Bairro Novo/ Casa Caiada - que também conta com a participação de Karina Buhr nos vocais - e Gafieira no Avenida - letra essa de Jorge Du Peixe e Lúcio Maia (vocal e guitarra da Nação Zumbi) composta para a trilha sonora do filme Amarelo Manga. Karina Buhr além de dividir os vocais em Bairro Novo/ Casa Caiada (ambos bairros de Olinda onde o índice de assaltos é bastante gradativo), ela também imposta sua voz nas músicas O Baile Betinha e Eu Tô Cansado Dessa Merda. E ainda tem mais outras grandes participações especiais (e Erasto tá no meio).

Eddie vale a pena demais! Curta o Original Olinda Style, lendinha que é de responsa.
Eddie - Carnaval no Infermo
Parte 01:
Parte 02:
Lista:
01 - Bairro Novo/ Casa Caiada
02 - O Baile Betinha
03 - Quase Não sobrou Nada
04 - Carnaval no Inferno
05 - Me Diga Que Não Foi Legal
06 - Gafieira no Avenida
07 - Metrodux
08 - Nada de Novo
09 - Desequilíbrio
10 - Eu Tô Cansado Dessa Merda
11 - Dessa Vez Foi Demais

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

A Volta do Som Barato

Já era de se esperar. Depois de quase 3 meses de seu inexperado encerramento, o blog Som Barato está de volta com um novo design e se lotando de grandes discos (novos e antigos) de suma excelência como sempre foi. Depois que algumas gravadoras denunciarem o blog como um meio de "pirataria", vários outros blogs foram tendo o mesmo fim, ocorrendo até de manifestarem o fechamento a Comunidade Discografias do Orkut.

Tal fato só vem a mostrar não o oportunismo de se ganhar dinheiro sobre o trabalho dos outros, como a Indústria Fonográfica vem difamando, e sim uma total ganância abrupta de tal para ganharem dinheiro em cima dos artistas. Contudo, ainda estamos a par de barreiras quanto ao uso de download e MP3 veiculado a web. Tudo graças a bendita Lei Azevedo. Agora só nos resta torce para que toda essa caça aos blogs cesse de vez.

Acesse o novo Som Barato.

Buguinha Dub - Vitrola Adubada (2008)

Pra quem não conhece o Buguinha, o cara já é figura tarimbada no cenário musical de Recife. O cara já realizou vários trampos com altos artistas aí - já foi até mesário de som dos shows da Nação Zumbi (banda, esta, que eu gosto muito e que Fabíola tem tanta idolatria).

Pra quem gosta de um Dub de responsa, esse álbum fica foda, pois além do estilo, Buguinha ainda mescla com outros estilos o que deixou esse trabalho muito foda. Vale a pena até parar pra escutar as chamadas de bares e etc que se encontram no meio das faixas. Vale a pena curtir com sua gata a faixa "Satisfação".

Buguinha Dub representou o Dub e a sonoridade criativa que nasce em Recife. Vitrola adubada é de conceito e som responsa, broooother!

Buguinha Dub - Vitrola Adubada
http://www.4shared.com/file/73234007/71b948de/buguinha_dub_-_vitrola_adubada.html?dirPwdVerified=4efe551b

Lista:
01 - Abre Caminhos
02 - Liberate
03 - Adubando
04 - Fino da Massa 1
05 - Gafieira Adubada
06 - Tubarão de Bacia
07 - Troça Adubada
08 - Satisfação
09 - O Desejo é o Mote

http://www.myspace.com/...

... Subsolo.

Eles tão de volta! Só menino bom que sabe representar. Agora sem De Leve e Marechal, Shaw, Lumbriga, Gato Congelado, Pai-Lua A.K.A Tapechu, Matéria Prima, Xará, Kamau e DJ Makoto, que antes faziam parte do Coletivo: Quinto Andar, tão de volta n'atividade com seu novo paralelo intitulado Subsolo.

Pra quem já curtia o som do Quinto, esse novo projeto é prato cheio. Tá muito foda! Vale notar o som de violãozinho sobre a base das pick-ups em "Destruir". Me lembrou muito as cordas que soltavam melodias nos discos antigos de Bossa Nova.

Nesse myspace dos caras tem o som de três músicas dos caras, mas logo mais sai o trabalho novo deles e já com data marcada. Dia 13 de Dezembro o disco intitulado Ordem de Despejo vai ser lançado no Evento Indie Hip-Hop com direito a show de lançamento do CD.

Som de conceito, neguinho. Ouve aí!

3 Na Massa feat. Thalma de Freitas - Enladeirada

Show de bola, brother, esse trabalho do 3 Na Massa. E a Thalma t´q um espetáculo (como sempre). A nega arrebentou cantando pá caralho no disco dos caras a letra escrita por Jorge du Peixe, vocal da Nação Zumbi, e atuando belissimamente no vídeo.

Pra quem gosta de música boa, 3 Na Massa é uma pedida excelente. Vale a pena constar!

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Luto pelo Som Barato

O que é a força motivadora da hierarquia, hein? Caros(as) lendinhas, é com tamanho pesar que me encontro à tal fato decorrido essa semana. No dia 08 de Setembro de 2008, Blog Som Barato (que por sinal, um de meus preferidos) foi preterivelmente fechado. Por quem? Indústrias Fonográficas. Motivo? Por ter disponibilizado trabalhos de certas gravadoras, como a Biscoito Fino que é uma gravadora “independente” consumada por músicos do que vem a Nova MPB, gratuitamente em seu domínio.

Contudo, não foi só a Biscoito Fino que boicotou a disponibilidade de seus trabalhos. Ela é só uma entre tantas. Mas o que me importuna na é o fato da Indústria ter boicotado o Som Barato (Bem... na verdade é sim), e sim a razão. O Som Barato foi fechado porque disponibilizava Álbuns de artistas sem autorização do mesmo e/ ou das gravadoras. Palmas para as gravadoras! Tão realizando muito bem os seus papéis. Eles não pensam que isso pode ser um meio de divulgação dos trabalhos dos artistas e das bandas. Não! Eles só pensam no dinheiro; só pensam no lucro -$$$$.

Estamos numa Era de modernidades onde o que se é consumido, já não é mais palpável. O MP3 veio para ficar. As gravadoras gostando ou não. Não é porque um Blog disponibiliza trabalhos da Indústria que a pirataria vai aumentar ou a venda disco vai cair. Quem é fã e gostou do trabalho, compra original! Na lata! Sem dó! As gravadoras têm que saber lhe darem com isso, senão o que vai ter de Blog fechando a torto e a direito e neguinho preso aí se a Lei Azevedo for aprovada não vai tá no gibi, cumpadi. Já pensou o tanto de gente descendo porque fez download de disco? Aí vai ter que rolar uma modificação arquitetônica no Brasil e começar a ter presídios por km².

Não sou a favor de comercializar música. Pra mim disco é meio de divulgação de trabalho dos músicos. Mas se é pra comercializar, é bem mais proveitoso as gravadoras repensarem seus formatos e modificarem suas estruturas para agência de músicas, tendo os mesmos formatos de uma agência de publicidade. Ela distribuiria os trabalhos de seus artistas e em troca fariam papéis de agentes angariando seus lucros com bases em shows e apresentações. A banda na perderia sua imagem e identidade. Apenas dividiria parte dela a estas agências. Quem quiser fazer seu trabalho por conta própria, faça. Quem quiser o apoio de alguma agência, agilize.

Mas se você ta começando, vá por mim. Não se prenda a ninguém!

Um minuto de silêncio para o Som Barato.

Um salve eterno para o Sem Barato.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Bebeto - Bebeto (1975)

Clááááááááásicasso do Sambarock, rapá! Esse disco do Bebeto é fodárstico. Isso é que é som bom. Brasileiridade de qualidade. Obra-prima de Bebeto, entre tantas outras, esse disco traz o que há de bom no Sambarock. Bebeto difere. Esse disco tá aí pra mostrar que Sambarock não é só Jorge Ben ou Trio Mocotó (que ambos também são muito presenças).

Destaque para a já tradicional "Segura a Nega".

Quem escutar esse som e não dançar é porque tá ruim da cabeça ou doente do pé...

Bebeto - Bebeto

Lista:
01 - Pensar Pra Quê?
02 - Muito Amor E Liberdade
03 - Só Queria Saber
04 - Veja A Vida Como É
05 - Só Quero Sambar
06 - Poderoso Thor
07 - Gabriela
08 - Segura Nega
09 - Morte Da Sandália De Couro
10- Adão, Você Pegou O Barco Furado
11 - Esse Crioulo Por Você Se Fez Poeta
12- Ela Vai Mostrar

sábado, 30 de agosto de 2008

Maracatu Vigna Vulgaris - O Regional Pelo Universal e o Universal Pelo Regional (2008)

Banda cearense lançando novo disco que representa as tendências estéticas musicais e culturais do Estado representativo.

Vale conhecer o som! Trazendo algumas composições do já nobre e conhecido Pingo de Fortaleza, a banda mesclas os sons de sua terra com outros que já entoam a tempos mundo a fora. Destaque para a composiçao Maculelê, que já se tornou necessária nos shows da Vigna.

Maracatu Cearense, Lóas e Reizados misturado ao Rock dentre outros estilos. Esse álbum é realmente o regional pelo universal e o universal pelo regional.

Maracatu Vigna Vulgaris - O Regional Pelo Universal e o Universal Pelo Regional
Paret 01:
Parte 02:

Lista:
01 - Açaizeiro Popular
02 - Afroporinbras ou Préludio do Renascimento
03 - Baião Rock do Preto Velho
04 - Beato José Lourenço
05 - Besouro de Madagascar
06 - Dia de Festa
07 - Filhos do Caldeirão
08 - Guaramiranga ou Gen Recife
09 - Maculelê
10 - Maracatu Estandarte
11 - Maracatu Vigna Vulgaris ou Corda de Mulatinho
12 - Sirí-Ará

Validuaté - Superbonder

Banda piauiense muito boa para quem gosta de uma música swingada bem nacionalista.

Validuaté é banda boa com música pra dançar até o Sol raiar.

É a música brasileira. É Cultura Tupiniquim!

Traça_02: Macunaíma - Mario de Andrade

Se teu moleque algum dia vier pra ti com uns argumentos industrializados de "- Pai, lê uma história pra dormir?", não negue esse pedido embreado de futilidades copiada porque ele viu na televisão e pareceu algo de bom fundamento. E na real, é. Só que ao invés de você ler histórias futéis como Branca de Neve ou Cinderela, leia Macunaíma.

Grande obra de Mario de Andrade, este que fôra um dos grandes nomes da Semana de Arte Moderna de 1922, escrita em uma semana (contudo, o autor já havia estudado tudo que se relacionava ao que a história aborda). Relata a história de um índio (Macunaíma) que descendia da tribo dos Tapanhumas e que já, desde pequeno, se mostrava esperto, mas ao mesmo tempo preguiçoso e que começa a explorar o Brasil e suas culturas e crenças.

Quem assistiu o filme com o saudoso Grande Othelo como protagonista sabe que o conto é bom e que não se pode ficar sem dar uma risada.

Se você assistiu o filme, isso é bom. Mas se não, leia primeiramente o livro e tenha sua própria visão deste clássico. Você não vai se arrepender!

P.S.: Deêm valor ao que é nosso. Não se deixem levar por estrangeirismos!

Ficha Técnica:
MACUNAÍMA - O Héroi Sem Nenhum Caráter
Autor: ANDRADE, Mario de
Editora: Villa Rica Editora
Assunto: Literatura Brasileira - Romance

domingo, 24 de agosto de 2008

Dr. Fantástico (Dr. Strangelove or:... ) - 1964

Clássico filme de Stanley Kubrick, de 1964, onde é contada a história de uma "guerramalentendida" entre os Estados Unidos e a extinta União Soviética (E aí, Guerra Fria?). O diretor sabiamente optou por filmar esta comédia de um Humor Negro bastante inteligente em preto e branco onde é relatada a loucura de um General norte-americano de querer lançar uma bomba atômica no país soviético. Uma cena clássica e memorável do filme é a imagem Slim Pickens de chapéu de cowboy montando em cima do míssil que fôra nuclear, em direção a URSS, como se estivesse domando um touro.

Este papel foi, iniciamente, dado ao comediante Peter Sellers junto a mais três. Contudo o autor recusou alegando uma fratura no braço que impossiblitava-o de realizar o papel. Porém, Sellers representou muito bem os outros três papéis a que fôra requisitado: Capitão Lionel Mandrake, um oficial britânico em serviço nos EUA; Presidente Merkin Muffley; Dr. Strangelove, um deficiente físico ex-nazista, perito em guerra nuclear.

Dr. Fantástico, ou originalmente Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb é um filme que podemos levar a outras perspectivas mais sociais e analisarmos o fato do descontrole dos Estados Unidos, como potência maior, a querer afligir nações pequenas e que possam ser consideradas como “pedras nos sapatos”. Este filme é de 1964, mas tem características bastante atuais a serem relatadas.

O Iraque que o diga!!!

http://www.myspace.com/...

... Estrela Ruiz Leminski e Téo Ruiz. Essa dupla curitibana mostra um trabalho muito bom contando com bastante influência da musicalidade brasileira. Uns podem vê-los como uma dupla desta safra do que vem a ser chamado de Nova MPB, mas esqueçam os rótulos por um instante e ouçam-os como artistas. Aliás, como bons artistas.

Temos que dar valor ao que temos, pois a nossa cultura é riquissíma, diversa e criativa. Somos uma nação desbravadora capaz de desbancar qualquer produto estigmatizado que a Indústria Cultural expelir.

A questão é: Você pensa ou deixe os outros pensarem por você.

Escute Estrela Ruiz Leminski e Téo Ruiz!

A Coruja e o Cassacu

por Guto Rafael

A noite chega rastêra,
cheia de sombra nos mato.
Coruja chega facêra
de ôio no véi cassacu.

Mas cassacu sabido
só sai da toca ligado.
Coruja só dá perdido.
Quando viu, já tá no buraco.

Prestando muita atenção
pra vê se pega um abestado.
A coruja com frivião,
peleja, mas só dá errado.

E eu bato uma aposta,
que no fim do tocado,
a coruja fica na bosta
e o cassacu é coroado.

Coruja que quase acerta
não aprende com o errado.
Já outra vez, tá na merda,
mas não desiste do prato.

E é nesse pega num pega
que se dá esse contado.
Até hoje a coruja se aprega
no rastro desse cassacu.

sábado, 16 de agosto de 2008

Inez

por A Lenda

Inez Sanidade,
tô morrendo de saudade do teu quero bem.
Do teu quero bem...

Parafuso que se solta
não dá pra apertar.
Não dá pra apertar. Não dá pra apertar.

O juízo que não volta
se perde no ar.
Se perde no ar. Se perde no ar.

Inez Sanidade,
tô morrendo de saudade do teu quero bem.
Do teu quero bem...

A camisa que me envolta
só faz me coçar.
Só faz me coçar. Só faz me coçar.

O doutor que me molda
só vai se cansar.
Só vai se cansar. Só vai se cansar.

Inez Sanidade,
tô morrendo de saudade do teu quero bem.
Do teu quero bem...

Quando bate a revolta
eu quero cantar.
Eu quero cantar. Eu quero cantar.

E não vai ter escolta
pra me segurar.
Pra me segurar. Pra me segurar

Inez Sanidade,
tô morrendo de saudade do teu quero bem.
Do teu quero bem...

Ensaio - Nação Zumbi

Áudio do Programa Ensaio da TV Cultura com a banda pernambucana Nação Zumbi falando um pouco de seu último trabalho - Fome de tudo - e de seu passado dos tempos de Chico Science.

Programa muito bom. Não tem muito que falar. Nação Zumbi excepcional como sempre tirando covers de Jorge Ben (O homem da gravata florida) e de Sibá & A Fuloresta (Bringa).

Queria agradecer ao Fábio Ribeiro, da Comunidade do Orkut: Chico Science & Nação Zumbi, por ter disponibilizado o programa em audiovisual e ao lendinha-quetantomeauxilia-, Guto Rafael pelo trabalho de extrair, converter e cortar o áudio para MP3 (O MP3 salva!!!).

"Deu trabalho, mas foi prazeroso!" - Palavras de Guto Rafael sobre este trabalho de conversão.

Não duvido disso, pois como já dizia Fabíola: "Nação é Nação!"

Ensaio - Nação Zumbi
Parte 01:
Parte 02:

Lista:
01 - Bossa Nostra
02 - Testemunhal
03 - Hoje, Amanhã e Depois
04 - Testemunhal
05 - Toda Surdez Será Castigada
06 - Testemunhal
07 - Bringa
08 - Testemunhal
09- Maracatu de Tiro Certeiro
10 - Testemunhal
11 - Manguetown
12 - Testemunhal
13 - O Homem da Gravata Florida
14 - Testemunhal
15 - Memorando
16 - Testemunhal
17 - Da Lama ao Caos

sábado, 2 de agosto de 2008

Para um Rei, sem festejos...

Hoje completa-se 19 anos que Luiz Gonzaga não algazarra por aqui com suas letras e músicas tão capciosas como preciosas e maestrais que o garantiram de ser o Rei do Baião. Este pernambucano, natural de Exu, município localizado no sopé da Serra do Araripe, faleceu em 02 de Agosto de 1989, já debilitado pela pneumonia. Grande musico e um dos responsáveis pela implementação da música nordestina e suas raízes ao cotidiano da nação, Luiz Gonzaga até hoje é visto como referência não só por artistas de seu mesmo estilo, mas também por outros que seguem outras tendências.

Contudo o que me intriga é o fato de tão grandessíssimo artista não ter tido, este ano, uma homenagem a sua altura. Para a lembrança não ficar vaga; acabando no vazio, apenas uma missa será realizada para este durante esta data. O que me mata de vergonha, pois aqueles que fizeram tanto que apareceram, conquistaram seu lugar tanto que angariaram seu real valor, acabam assim, no esquecimento. Vejo que hoje a memória de Luiz Gonzaga está sendo apagada por Forrós Eletrônicos, Technobregas, Swingueiras e Micaretas em geral.

Tenho orgulho de ser brasileiro, mas às vezes o povo me mata de vergonha por não darem valor ao que vem a ser de nossa cultura para com nossos valores e despreza tais conceitos para só curtir festas, encher a cara sem noção alguma, contar quantas meninas beijou numa noite e fuder sem camisinha. Isso pra mim não é coisa de garotão nem de pegador geral.É coisa de babaca! É coisa de Zé Ruela!

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Experimentar o experimental… (não é para todos!!!)*

Artigo escrito por Augusto "Guto" Rafael

No último Sábado, dia 19/07, fui ao Centro Cultural Sesc Luiz Severiano Ribeiro - o antigo Cine São Luiz - com o intuito de conferir o longa Praia do Futuro onde foram apresentado como uma junção de 17 curtas sobre a temática. Logo nas primeiras amostras do filme notei que os cineastas queriam passar uma visão diferenciada da Praia do Futuro; uma visão experimental de como fazer cinema.

Só quiseram porque de experimental não tinha nada. Não assisti a todos os curtas porque estavam mesmo muito ruins.Os diretores quiseram inovar e difundir uma idéia de “Cinema Novo” - fazendo apologia ao que já fez Glauber Rocha talvez - transformando a película em um experimentalismo, mas só conseguiram atingir o pico de experimerdalismo. Fôra proposta umas idéias viajantes para a construção dos curtas, mas nem todo mundo é capaz de tal proeza. Nem todo mundo é capaz de fazer experimentações e/ ou inovações. Não assisti ao filme todo porque de tortura já basta a vida. Sai antes do final da amostra. Fiquei pela Praça do Ferreira afim de assistir o show da banda Cidadão Instigado. Em tal espera acabei me encontrando com o professor Ricardo Salmito que foi mais corajoso e tolerante do que minha pessoa para assistir o filme. Em uma troca de idéias rápida, ele me disse que também não tinha gostado muito; que nem todo mundo é capaz de fazer algo experimental. Concordo plenamente! Para a construção de algo experimental é necessário um estudo e um conhecimento aprofundado (quase que antropológico) sobre o material que se pretende fazer. Pelo menos a banda Cidadão Instigado iria tocar de graça.

Mas o que mais me aflige é o fato de que nós, o povo cearense, somos pessoas bastante criativas e capazes de fazer e/ ou criar um experimentalismo que tenha conteúdo e um conceito que possa ser entendido e suprido pelas massas. Porém, aqueles que soam como os mais capazes não têm a mínima condição de expor suas idéias para o público. Cabe tal função para os “filhinhos de papai” arremeterem, pois estes são os que tem condições e paitrocínios para bancar suas brincadeiras de Cinemas Novos ou Tropicalismos ou Dadaísmos.

O que faltam de incentivos e patrocínios para os mais capazes, sobra de lama para os metidos.

*Este artigo foi retirado do blog Potó quer ser publicitário
http://potopublicitario.wordpress.com/

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Quinto Andar - O Que é o Quinto Andar

Só para relembrar dos tempos bons.

Bom... Não tenho muito que falar. Quinto Andar é Quinto Anda!.Shaw, Castro, De Leve...

Um coletivo que faz falta aí. Só quem representava benzaço!

http://www.myspace.com/...

... SUPERSHAW021

Esse é o myspace deste que já fez e sempre fara parte do núcleo do Coletivo: Quinto Andar. É o Shawlin? Sim! Rimador sagaz e rápido demais. A boca desse solta palavras mais veloz que AR-15 soltando bala. Magrinho foda esse aí!

A fama é mérita. Shaw, meu brother, só te desejo muito sucesso...

... e volta com os nego aí pra fazer um Sessionzinha que nem nas antiga, valeu?
Shawlin? Bem recomendado!

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Zôto

por Guto Rafael/ Davi Farias
Vou chamar meu fí de Zôto
porque mangar dos ôto é fêi.

O bichim vai ser escroto.
Vai ser fresquim que só.
Vai arengar com o povo todo
de Fortaleza à Maceió.

Vou chamar meu fí de Zôto
porque mangar dos 
ôto é fêi.
Já mangou do leão,
que dá floresta é o rei,
que não rugiu por educação
porque mangar dos ôto é 
fêi.
Vou chamar meu fí de Zôto
porque mangar dos 
ôto é fêi.
Mas ninguém manga do menino.
Tá falado! Aqui é lei.
Nem fala grosso ou fala fino
porque mangar dus ôto é 
fêi.
Vou chamar meu fí de Zôto
porque mangar dos ôto é 
fêi.
E na tua cara dá arroto
dá as costas e diz: peidei!
Por isso vou chamar meu fí de Zoto
porque mangar dos ôto é 
fêi.
Vou chamar meu fí de Zôto
porque mangar dos ôto é 
fêi.

Seu Manel (Anote a Caderneta)

por Guto Rafael/ A Lenda

Seu Manel pegue a caneta.
Anote a caderneta.

Seu Manel me dê um bombom
na conta da mainha.
O bombom que eu tô querendo
é o bombom Maluquinha.

Seu Manel pegue a caneta.
Anote a caderneta.

Aproveite e bote aí...
Seu Manel me dê um Croc.
Também vou sair daqui
com cinco chiclete Ploc.

Seu Manel pegue a caneta.
Anote a caderneta.

Isso eu levo nos bolso.
Quero dez Piper na mão.
E na outra vou levando
uma bolacha de limão.

Seu Manel pegue a caneta.
Anote a caderneta.

Pra fechar o pedido,
me dê uma Mirinda.
Minha mãe mandou falar
que acerta nessa quinta.

Seu Manel pegue a caneta.
Anote a caderneta.

O Teatro Mágico - 2º Ato (2008)

Respeitável público! É com extremo orgulho que, em felicidade, me borbulho ao lhe passar a graça d'O Teatro Mágico em seu mais novo espetáculo simpático e de fino trato: 2º ato.

Depois de Entrada Para Raros, a trupé paulista (já não se pode mais dizer banda por motivos óbvios), O Teatro Mágico, lança seu segundo trabalho intitulado 2º Ato. Com fortes referências do primeiro CD, contudo, chegando a inovar em matéria de companhia (como a de Zeca Baleiro em Xanéu Nº 5). O som deste novo trabalho traz mais um Teatro Mágico mais próximo do patamar de grandes bandas que arrastam multidões shows a fora, como Los Hermanos e Cordel do Fogo Encantado.

Pra quem está cultuando muito o que vem a ser esta Nova MPB, O Teatro Mágico faz seus grandes truques e inova no cenário musical brasileiro.

Muito foda! E pra quem já foi a algum show deles sabe que não tô de onda...

O Teatro Mágico - 2º Ato
Parte 01:
Parte 02:

Lista:
01 - Amadurecência
02 - O Mérito E O Monstro
03 - Cidadão De Papelão
04 - Pena
05 - Opus Erectus (Allegro Ma Nem Tanto)
06 - Sina Nossa
07 - Si Atromiso
08 - Criado Mudo
09 - Sonho De Uma Flauta
10 - (!)
11 - Eu Não Sou Chico Mais Quero Tentar
12 - @s!@
13 - Alguma Coisa
14 - Abacaiado
15 - Xanéu Nº 5
16 - Os Insetos Interiores
17 - A Primeira Semana
18 - F Chopin (Opus 64 c m)
19 - ...

domingo, 22 de junho de 2008

Sheik Tosado - Repente Envenenado

Já disse Jorge Du Peixe - no DVD de sua banda, Nação Zumbi: Propagando -, citando Fellini: "Amargou? Relembrar!".

Sheik Tosado é uma banda de muito conceito que finou-se muito cedo. Musicos de qualidade que vale muito a pena recordar e curtir.

O Sheik Tosado é uma das bandas que melhor representaram o Manguebeat, na década de 90, no cenário musical tanto de Recife quanto o nacional.

Garantia!

Sheik Tosado - Som de Caráter Urbano e de Salão (1999)

Faz tempo que a banda Sheik Tosado deu-se finada. O que, na época, parecia ser umas das bandasmais promissoras do que se tornaria a sequência do Movimento Manguebeat criado em Recife, teve uma existência muito breve com seu fim prematuramente jogado. Os integrantes das bandas seguiram em outros projetos, como o vocalista Flávio Augusto A.K.A. China ou, atualmente, Chinaman, lançou seus projetos solos e canta junto a parte do Mombojó no Del Rey.

O Sheik Tosado, ao lado de bandas como Eddie e Bonsucesso Samba Clube, deu ao gênero Manguebeat um nova força, ar e graça aqueles que achavam que estilo ficaria orfão depois da morte de Chico Science em 1997.

Com uma pegada mais rápida e pesada sem perder as origens culturadas pernambucanas, o Sheik Tosado fôra uma das bandas mais representativas do cenário musical de Recife. Vale muito a pena conferir o som dos caras.

Saia da mesmice!

Sheik Tosado - Som de Caráter Urbano e de Salão

Lista:
01 - Toda Casa Tem Um Pouco de África
02 - Esquenta Barracão
03 - La Ursa
04 - Sheik Tosado
05 - Malê
06 - Hardcore Brasileiro
07- Repente Envenenado
08 - Baleia
09 - Vinheta Para Jackson
10 - Zum, Zum, Zum Pancada

De Leve - De Love (2008)

Ramonzito estais amaaaaando!!!

Quem te viu, quem te vê! Pra quem ficava de chacota com Deus e o mundo, Ramon "Peludo" Moreno está de cd novo na praça e cheio de graça... pras liiiiiiiindas, brother! EPzinho aí só tem cinco faixa, mas tá responsa, cumpadi.

Bem diferente que as rimas da época do Quinto, mas covenhamos, o homem agora tá na coleira. Que vaciiiiiiiiiiiiiiiiiilo!!!

De Leve - De Love:

Lista:
01 - Sempre A Caminhar
02 - O Que Você Conta?
03 - Pra Ser Feliz
04 - O Que Nego Quer
05 - Quero-Te-Bem

Cultura x Comércio (… ou Comércio x Cultura (?))*

Artigo escrito por Augusto "Guto" Rafael

Depois da última viagem que fizemos à Recife, voltei de lá com mais interesse pela terra (Como todos sabem, sou baba-ovo de Recife sim!). A catinga não foi motivo para desgostar da cidade que me atrai pelas músicas e cultura. Num tour de ônibus (Um coletivo normal. Não o fretado pela faculdade), saímos eu e Marcelo do centro da cidade, que se localiza no Recife Antigo, até Boa Viagem, bairro de elite. No caminho fui constatando a quantidade de shows que a cidade armazena através de cartazes colados em paredes e muros, e alguns outdoors. O que estranhei é que a maioria dos shows eram de bandas de Forró Eletrônico de bandas tipo as que temos aqui. Poucos foram os anúncios de bandas de Manguebeat - estilo musical criado em Recife nos anos 90 e que mais me atrai a cidade. Nem o show do Marcelo D2, o rapper nacional mais Pop da atualidade, que ia acontecer se não me engano na Sexta-Feira ou no Sábado da época (informação de um conhecido meu que reside lá) não foi tão divulgado através de qualquer mídia impressa.

Outro fato que estranhei é que o Recife Antigo, bairro-boêmio de Recife, que tem tradicionalidade quanto a música e festas, não estava com este cartaz todo (Acho que pode ser por questão de segurança. Não sei!). O bairro está perdendo espaço para outro bairro da cidade: Boa Viagem, que através de suas boates e luxos estão angariando toda uma massa recifense que se vê mais consumista.

O site Overmundo escreveu um artigo sobre tal assunto que vale a pena conferir: http://www.overmundo.com.br/overblog/a-nova-decadencia-da-cultura-pernambucana

Diferente de Recife, Fortaleza parece vir prezando (pelo um pouco mais) a sua própria cultura. Claro! Ainda há aqueles que, usando de suas próprias palavras, só querem putaria. Não importa quão burra for a diversão-putaria de tantos valdevinos frívolos. Porém, os poucos defensores da cultura cearense já deixam de ser só aqueles interioranos brabos do sertão e outros tantos universitários que prezam por sua terra. A questão da defesa da cearensidade está a tomar a simpatia de um juri maior e mais popular. Um público que faz questão de conhecer a região do Cariri, que dança ciranda no Mercado dos Pinhões ao som da banda Dona Zefinha, que já leu algum cordel ou Patativa do Assaré. Um júri de fronte a um palco que está a modificar-se com os costumes da terra com um vocabulário bastante carregado no cearês. Justo que é uma minoria ainda, mas é uma minoria bastante gradativa.

A questão deste artigo é, em comparação as duas cidades: Recife está virando Fortaleza e Fortaleza está a virar Recife?

*Artigo retirado do Blog Potó quer ser publicitário, da FCC - Faculdade Católica do Ceará:
http://potopublicitario.wordpress.com/

domingo, 8 de junho de 2008

Quinto Andar - Piratão

Discão classe do Quinto! Totalmente a favor da pirataria e das putaria. Os caras trouxeram nesse o álbum o humor escrachado que já era de praxe do coletivo a continuar a pisar nos calo do dedo mindinho que roça na parte de fora do sapato.

Esse trabalho do Quinto Andar pode trazer a tona um assunto que está em alta no mundo das grandes mercenárias gravadoras que, no caso, de estarem perdendo espaço não só para o CD pirata, mas também para o MP3. Fato dado de importante tato!

Mas esse álbum não aborda só estes causos. Destaque para a histórica faixa 06, Cara de Cavalo Encontra De Leve. Só comédia!

CD que vale a pena é esse. Muito claaaasse, brother! E dá pra fazer falta de muuuuito.

Quinto Andar - Piratão:
Parte 01:
Parte 02:

Lista:
01 - O Que É O Quinto Andar?
02 - Rap Do Calote
03 - Rap Da Secretária
04 - Melô Da Propaganda
05 - Pra Falar De Amor
06 - Cara De Cavalo Encontra De Leve
07 - Montagem Da Bandeira
08 - Esse Planeta
09 - Vive Pra Servir Serve Pra Viver
10 - Melô Do Piratão
11 - Ritmo Do Nosso País
12 - Madruga
13 - A 1 Passo Do Paraíso
14 - Muita Falta De Anti-Profissionalismo Dub
15 - $$$
16 - Melô Dos Vacilão
17 - Contratempo
18 - Meu Amor Não Me Abandone

Ozafíro Oteu

por A Lenda

Das profundeza do Ceará,
onde o cinza ainda não comeu,
Pai-judeu veio proclamar
teu nome, Ozafíro Oteu.

Ozafíro Oteu.

Diga de onde tu vai chegar.
Qual foi o caminho que tu se perdeu?
A estrada é longa pra se voltar.
Vá logo agora que o Sol nasceu.

Ozafíro Oteu.

Sente o quente. Mió cala.
A vida é dura pro teu povo hebreu.
“Daqui pra frente tudo vai mudar”.
Já disse antes, fí de Hermanoteu.

Ozafíro Oteu.

Nada de chuva em Quixadá.
Vamu sinbora que o gado morreu.
A fome é grande. Não pode esperar.
A cidade dá o que Deus não deu.

Ozafíro Oteu.

E nas calçada sempre a beirar.
Povo judia que virou judeu.
Virou judeu de tanto se judiar.
Cearéia vira Filisteu.

Ozafíro Oteu.

Curumin - JapanPopShow + Bônus (2008)

O tão aguardado segundo álbum de Luciano Nakata A.K.A. Curumin, grande instrumentista da contemporaneidade brasileira.

Diferente do seu antecessor, Achados & Perdidos, JapanPopShow é um álbum que aproveita mais o instrumental da brasilidade musical, mas com lembranças natas do primeiro álbum que constatamos em certas faixas como Compacto e Mistério Stéreo. Discão muito bem produzido que conta com várias participações especiais dentre elas Marku Ribas, B Negão e Tommy Guerrero.

Nesta seleção foi incluída mais duas faixas bônus: Pai & Filho (da trilha sonora de Cidade dos Homens), com participação da melodiosa CéU, e Samba Japa ao vivo no Festival Humaitá Pra Peixe 2007.

Muito claaaasse! Infeliz de quem perde essa sonoridade que poderia muito bem representar o bom da música nacional pra se deixar influenciar por Créu. É triste, mas é real!

Isso é que é vaciiiiiiiiiiiiiiiiiiiiilo, brother!!!

Curumin - JapanPopShow + Bônus:
Parte 01:
Parte 02:

Lista:
01 - Salto No Vácuo Com Joelhada
02 - Dancando No Escuro (participação Marku Ribas)
03 - Compacto
04 - Magrela Fever
05 - Kyoto (participação Blackalicious e Lateef the Truth Speaker)
06 - JapanPopShow
07 - Mistério Stéreo
08 - Saída Bangu
09 - Mal Estar Card (participação Cristopher Lover)
10 - Caixa Preta (participação B Negão e Lucas Santana)
11 - Sambito (participação Tommy Guerrero)
12 - Esperança
13 - Fumanchu
*14 - Pai & Filho (participação CéU)
*15 - Samba Japa Ao Vivo no Humaitá Pra Peixe 2007

*Faixas Bônus

Sonantes (2008)

Primeiro álbum deste quinteto que surgiu do tão esperado Confraria das Sedutoras do trio 3 Na Massa e suas sedutoras. Este trabalho só fôra lançado na gringa, mas é de muito aguardo para lançamento nacional.

Disco muito bem trabalhado com uma influência eletrônica e de afrobeats (entre tantos estilos que fazem seus componentes e suas crias) e que pode contar com a participação de Lúcio Maia (Nação Zumbi), Apollo 9, Beto Villares e Sibá Veloso (Siba e A Fuloresta) que se destaca na canção Toque de Coito. A banda sempre bem elaborada e a voz de CéU um veludo só.

Essa é pra passar a noite e vairar a madrugada a deleitar-se desta sonora.

Sonantes:

Lista:
01 - Carimbó
02 - Miopia
03 - Toque de Coito
04 - Mambobit
05 - Looks Like to Kill
06 - Defenestrando
07 - Quilombo Te Espera
08 - Itapeva
09 - Braz
10 - Frevo de Saudade

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Nenem-Guerreiro

por A Lenda

Nenem...
Nenem-Guerreiro.
Nenem...
Nenem...
Nenem...

Já foi auxiliar de pedreiro.
Já foi pedreiro.
E todo dia levanta com a Maria
pra ganhar dinheiro

Nenem-Guerreiro.

Nenem...
Nenem-Guerreiro.
Nenem...
Nenem...
Nenem...

Já se arriscou de caminhoneiro.
Já foi porteiro.
Em Sampa, já foi cantar em banda
pra ganhar dinheiro.

Nenem-Guerreiro.

Nenem...
Nenem-Guerreiro.
Nenem...
Nenem...
Nenem...

Ele queria ser engenheiro
ou outro banqueiro.
Mas a necessidade fez Nenem ir pra cidade
pra ganhar dinheiro.

Nenem-Guerreiro.

Nenem...
Nenem-Guerreiro.
Nenem...
Nenem...
Nenem...

E hoje...
Hoje Nenem colhe os louros
do trabalho árduo.
Trabalho duro e trabalho árduo
pra garantir que a vida dos futuros
seja diferente da dos passados.

E hoje...
Hoje sua nega vem lhe dar um cheiro.
Nenem...
Nenem-Guerreiro.

domingo, 18 de maio de 2008

Celebridadialismo, a Nova Prática Política

Artigo escrito por Augusto "Guto" Rafael

Outubro, votemos! Outubro, voltemos votemos! Outubro voltemos as urnas para eleger prefeitos e vereadores; com o intuito de dar poder aos representativos políticos das mesmas épocas de ontem e anteontem (e porque não de outrora?). Certo? Nem tanto.

O que antes vivíamos em um tempo político dominado pelo Coronelialismo, onde o poder do voto se dava sobre a vigilância de espigardas de jagunços, passemos a um cenário político mais Clientelista, onde um favor leva a outro; onde uma mão lava a outra. Porém, estamos entrando em uma Era onde a convivência deste cenário está a mudar sua forma para uma nova prática que podemos chamar de Celebridadialista - provido do termo Celebridade- (ou Estrelista). Ora, pois a política brasileira já que vem tomando uma forma onde as Leis e Menções de interesse da Nação, que antes eram os fatores primários para a formação dos políticos e da própria política brasileira, estão modificando seus espaços e ares para um novo palco político onde procede a um jogo de imagem que vem sendo submetido a esta através da publicidade.

A política vem em demasia preocupando-se com a estética da coisa. Ao que parece o povo já não quer ver o operário ou proletariado suado e fedido. O povo quer eleger aquele operário fedido que virou galã-herói, pois só assim a publicidade tem fator importante de brincar com o imaginário de tal fato pode acontecer com qualquer. Todos podem mudar de vida para melhor. Ledo engano. A publicidade é uma fábrica de fazer sonhos e fantasias. O que acontece é o fato de ela estar disfarçando demais a realidade com gliter e brilhantina. As mídias fazem à cabeça do povo. Povo esse que não quer ver o povo como herói. Ainda quer o galã e o galã é celebridade, celebridade é pessoa pública.

Essa escolha é tomada pelo caso de que pelas mídias as celebridades passam emoções através de suas atuações para os telespectadores e isso causa uma aproximação com os ídolos como se eles fossem melhores amigos e confidentes do povo. Assim como a publicidade, esse é o tipo de relacionamento moldado a muita fita crepe. Doce ilusão (doce?!).

A publicidade, que também é responsável por tais “relacionamentos”, aproveita quem e/ ou o que está em mais evidência nas mídias de massa para criar personificações que possam representar seus clientes. Na política atual não é diferente. Tanto que temos hoje em dia um aumento de celebridades que são eleitas para postos de importância política. E isso já não é de agora, pois não esquecemos que em 1985 o ator Ronald Reagan fôra eleito Presidente dos Estados Unidos. Não me admiro se isso acontecer com o atual Governador da Califórnia, o austríaco Arnold Schwarzenegger. No Brasil, temos vários exemplos. O mais lembrado é o do estilista Clodovil Hernandes que se elegeu Deputado Federal em São Paulo.



Do jeito que caminha o cenário político-glamour brasileiro (não só no Brasil, mas no mundo inteiro) será requisito necessário para quem quiser se eleger Governador ter tido participação em alguma das edições do BBB (Big Brother Brasil) e pra Presidente teria que ganhar alguma edição do mesmo (se não derem o cargo no lugar dos R$ 1.000.000,00). Como seria ter Andressa Soares, a ex-Mulher-Melância, no Ministério da Cultura propagando a Cultura do Créu país afora, país adentro, país afora, país adentro (dá até outro Hit de Funk)? Pra Ministro da Fazenda? Pra que uma só pessoa. Dêem esse espaço para algum Grupo de Pagode ou Grupo de Swingueira.



Para o Ministério das Comunicações não existe pessoa mais preparada do que a jornalista/ capa da Playboy, Mônica Veloso. Afinal de contas, metida no cenário político brasileiro ela já foi. Tudo isso com o patrocínio da Cerveja Antarctica, a Boa.
Esse seria um governo de grande brilho, mas, sim, de um triste fim. Nestas próximas eleições vamos abrir o olho em quem votamos. Não é porque o indivíduo é um artista famoso ou aquela mulher já deu pra não sei quem que eles merecem nosso sim. O voto é o único poder que temos as mãos que podemos usar contra esta nata de falsos. Eles já têm dinheiro. Eles já têm o poder. Eles podem comprar a imagem, mas nunca serão de verdade.

Não abandone seu voto nas calçadas. Vote certo!

Dezarie - Fya (2001)

Nunca tinha ouvido falar em Dezarie até a pouco tempo. Ouvi uma babação que o som dela era pedra, que isso e aquilo. Por desencargo de consciência resolvi tirar a prova e logo na primeira música que escutei - Zion - vi que a massa tava certa. O som dela é pedra meeeeesmo, brother! Vale muito a pena curtir o som desta filha de St. Croix, nas Ilhas Virgens, que neguinho não vai se arrepender.

Esse Álbum foi lançado em 2001 e só vem trazendo só realmente pedra. Dezarie é de conceito! Vale muuuito a pena! Peeeeeeeeedra!

Dezarie - Fya:
Parte 01:
http://www.4shared.com/file/47113789/40d4c3d3/Dezarie_-_Fya_Parte_01.html?dirPwdVerified=84db09f8
Parte 02:
http://www.4shared.com/file/47116790/17cdba04/Dezarie_-_Fya_Parte_02.html?dirPwdVerified=84db09f8

Lista:
01 - Zion
02 - Omega
03 - Don't Cry
04 - Most High
05 - Love Yourself
06 - Flesh and Bone
07 - Fya
08 - All Ova
09 - Walk Wid Me
10 - Rebel
11 - Jah Throne
12 - Mind Yu Own
13 - Sing Out
14 - Iron Sharpen Iron
15 - Fya Dub

sábado, 10 de maio de 2008

http://www.myspace.com/...

... nathymc. Nathy: Filha de Yemanja. Protejida por Exu Marabô. Guiada por Dona Maria Padilha das Almas.

Esse é o quem sou do perfil de Nathy MC. Guerreira velha de guerra. Parceira de Flora Matos, essa curitibana manda nas rima e a tonalidade de sua voz é foda, véio. A mina que já vi que manda mais do que qualquer maluco que paga pau de improviso.

Nathy tem tudo pra se dar de bem no cenário nacional do Rap Underground. Sempre na melhor companhia (Flora Matos, Sweet, DJ Soares, Grupo Rajas entre outros), ela - ainda bem lá no Underground mesmo - tem rimas excelentes.

Ainda quero viver Nathy representando o Rap com suas parcerias e se apoiando nos pilares da boa música nacional junto a CéU, Nação Zumbi, Instituto e muitos aí.

Web:
http://www.myspace.com/nathymc

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Roberta Sá - Mais Alguém (Programa Ensaio)

Excelente música! Composição de Moreno Veloso em parceria com Quito Ribeiro, esta letra trazida na voz de Roberta Sá, essa potiguar que vem se destacando no cenário musical brasileiro, é parte integrante de seu 2º CD - Que Belo Estranho Dia Pra Se Ter Alegria.

A banda, extraordinária como sempre, desempenha seu papel tão melodicamente que todo o lirismo da canção se faz em plena harmonia que o belo estranho dia sempre se torna mais belo.

Sonantes - EP (2008)

Sonantes! Quem já escutou 3 Na Massa já está familiriazado com a cumplicidade que há entre Rica Amabis (Instituto), Dengue e Pupillo (Nação Zumbi). Junte-os a Gui Amabis e a cantora CéU e teremos o zerado - ainda cabaço - Sonantes.

Saído do já finalizado projeto 3 Na Massa, deu-se cria. Nascia Sonantes. Uma banda com a mesma energia melódica e harmonia orgásmica que sua genitora.

Este link foi retirado do myspace da banda. Vale a pena. Som muuuuuuuito classe! São só 05 músicas, mas ponha no repeat e desça mais outra garrafa de vinho.



Sonantes - EP:

Lista:
- Carimbó
- Itapeva 51
- Looks Like to kill
- Miopia
- Quilombo Te Espera

Web:

Traça_01: Indústria Cultural e Sociedade - Theodor Adorno

Para quem se interessa sobre os fatos que as mídias de massa representam e apresentam para a sociedade moderna, este livro é leitura obrigatória para os estudiosos das teorias das comunicações. Trata-se nada mais nada menos do que a obra-prima de um dos fundadores da Escola de Frankfurt - junto Horkheimer, Marcuse, Benjamin entre outros -, o filósofo alemão de descendência judaica, Theodor W. Adorno.

Prezado homem que criticava a todo instante os fatores agregados a Cultura de Massa que tanto batizou Indústria Cultural, afim de desalienar tantos alienados que visavam uma vida formulada e produzida em série que passava desapercibida perante os olhos atentos aos constantes mudares da lógica lojistica imposta.


Adorno foi precursor dos filhos excluídos da Indústria Cultural. Foi ele quem batizou todos que não vão às modinhas FMícas, que chutam as portas da Globo, que preferem ver Glauber Rocha à Steven Spielberg.

Adorno é o Pai dos Heróis Excluídos...
Ficha Técnica:
INDÚSTRIA CULTURAL E SOCIEDADE
Autor: ADORNO, Theodor W.
Editora: PAZ E TERRA
Assunto: Filosofia

terça-feira, 6 de maio de 2008

Manacá Ao Vivo no Humaitá Pra Peixe 2008

Malditos. Queridos. Odiados. Ouvidos. Manacá. Não deixe o nome enganar você. Manacá é sim uma banda com uma forte influência nordestina, mas também é uma puta banda de Rock. Nascida no (meu) Rio de Janeiro, a banda é composta por Bruno Baiano (bateria), Daniel Wally (baixo), Luiz César Pintoni (guitarra) e a muuuuito linda Letícia Persiles (vocal) e se faz única pela sonoridade híbrida.

Outro fator importante da música dessa se encontra na vocalista/ atriz/ autodidata Letícia que através de suas voz e performace mais do que cênica encorpora todo o sentimento que suas letras expoem.

Manacá é uma banda ainda não muito conhecida, mas já é uma banda grande de grandes que vale muito a pena prestar atenção e ouvir com alma e coração.

O novo trabalho da banda já está pra sair e tem como produtor ninguém menos que Mário Caldato Jr (Beastie Boys, Planet Hemp, Nação Zumbi). Pra quem gosta da mescla, Manacá é prato cheio. Eu já tô no aguardo desse novo trabalho. Esse show rolou no último Humaitá Pra Peixe em 12/01/2008 e vale muuuuito a pena, broder.

Manacá Ao Vivo no Humaitá Pra Peixe 2008:

Lista:
01 - Lua Estrela + Faca De Ponta
02 - Gaiola
03 - Flor De Manacá
04 - Lamento
05 - O Diabo
06 - Canto De Ossanha
07 - Desejado
08 - O Diabo

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Oração a São Jorge

Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.

Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.

Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meu inimigos.

Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.

São Jorge Rogai por Nós.

domingo, 20 de abril de 2008

Creative Commons: Príncipio de pirataria ou o fim das Indústrias Fonográficas?

Não vejo o Creative Commons como um processo de pirataria ou o precipício das Indústrias Fonográficas. Vejo como um meio de disponibilidade de qualquer tipo de arte que esteja veiculada ao artista para o público que seu acesso não seja de muito custo. Aí você me pergunta: Lenda, mas o que diabo é Criative Commons? E eu respondo: Criative Commons é um projeto que não visa de fins lucrativos sobre determinadas obras que tem direitos mais flexíveis. O que vai atestando contra alguns fatores que são adotados por obras que tem "todos os direitos reservados" - Copyright.


Apesar de esse projeto estar presente no Brasil, ele foi criado nos Estados Unidos, em 2001, pelo professor da Universidade de Stanford e fundador, Lawrence Lessig. Mas sua primeira licença foi publicada só em 16 de Dezembro de 2002. No Brasil este projeto é representado pelo Centro de Tecnologia e Sociedade da Faculdade de Direito da Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro.


Lawrence Lessig





Nacionalmente, bandas como a pernambucana Mombojó é adepta ao Creative Commons tanto que disponibiliza os seus álbuns para download gratuitamente em seu website. Fernando Gabeira lançou seu último livro, Navegação na Neblina, licenciado pelo projeto. O cineasta Bruno Vianna lançou seu primeiro longa-metragem, Cafuné, também com licenciatura do Creative Commons.






Mas a questão que estou pondo em pauta é: O Creative Commons pode gerar um nível de pirataria nos países em que está agregado as legislações que ferirá tanto os princípios das Indústrias Fonográficas que causará uma "falência" a estas? Será que estamos passando de uma Era em que o CD já virou peça de Museu ou item de colecionador e está perdendo espaço para os MP3 e download? No lugar de estarmos dando dinheiro a gravadoras estamos financiando as empresas telefônicas e de banda larga?

Quer minha opinião? Primeiramente, acho que pirataria não rola. Claro! Terá sempre alguém baixando álbuns de músicas, vídeos e/ ou livros e disponibilizando para um e outro, mas não acho que isso será feito com o intuito de ganhar dinheiro (Certo! Isso também pode ser ingenuidade minha). Mas na minha sincera opinião, sou a favor da pirataria sim. É um mercado que devia ser levado em consideração, pois se trata até de um processo muito importante para artistas que não tem tanta visibilidade pelo meio e tem uma puta capacidade de se lançar. É o caso que acontece em Fortaleza-CE e em Belém-PR. A pirataria é muito grande em Fortaleza e ajuda a promover os artistas das bandas de Forró Eletrônico já que este é um estilo que tem mais ouvintes nas periferias da cidade. Não importa quão bons são os estúdios das bandas de Forró Eletrônico e quão bons são os músicos. A pirataria em Fortaleza é predominante principalmente para com este estilo de música - se é que isso é música (Ops!) -. Não diferente de Fortaleza, temos o Technobrega que vem agitando as festas de Aparelhagem de Belém e de seu resto do Estado. A divulgação do Technobrega começa mesmo no povão e depois que vai ganhando mais ouvintes em outras classes sociais. Mas o que predomina como divulgação desse estilo é a pirataria. O que vem a rolar nas festas de Aparelhagem é o que mais vem sendo tocado nas barraquinhas dos camelôs. Eu acho até mais justo já que os artistas não chegam nem a ganhar nem 10% do que são investidos em seus trabalhos.

Não é com pirataria que as gravadoras vão quebrar as pernas. Isso não tem nada haver. Elas sempre encontram um meio de sobreviverem. O que é necessário que se faça que elas entrem nesse novo mercado de MP3. Acho também uma besteira cobrar por música. Beleza! O trabalho é de melhor qualidade, mais bem feito e os artistas têm que ganharem seu pão nosso de cada dia, mas vejo a arte como algo que vem a ser liberal para gerar liberdade. Arte não é produto! Tento ver o lado dos artistas que são contra o Creative Commons, mas não consigo seguir. Eu compreendo, mas não concordo.

Imagino que sim que num futuro próximo nosso mercado atual perderá espaço para um mercado upado e downloadeado. Até porque a questão de acessibilidade quanto aos produtos é bem mais rápida e melhor que o método antigo. Pode ser que estejamos pagando o preço de um CD às empresas telefônicas, mas elas não estão explorando ninguém (ou será que estão?). Indústrias Fonográficas, não se preocupem. Sempre haverá alguém para CDs.

Eu ainda escuto CD e leio livros...

Web:
Creative Commons - http://creativecommons.org/
Creative Commons Brasil - http://www.creativecommons.org.br/

Mombojó - Nada de Novo (Aúdio do DVD)

Um dos expoentes musicais mais foda que estão saindo de Recife atualmente, o Mombojó é uma banda composta por Felipe S. (vocal), Chiquinho (teclado e sampler), Marcelo Machado (guitarra), Samuel (baixo), Vicente Machado (bateria), Marcelo Campelo (violão, cavaquinho e escaleta) e Rafa (flauta) - este falecido em Julho do ano passado -, todos excelentes músicos formados pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Com um lirismo das letras bem escritas e uma melodia que varia do agito a calmaria, o Mombojó se faz uma das bandas mais importantes não só do cenário pernambucano, mas também do cenário tido como alternativo nacional. Com dois discos na bagagem - Nada de Novo (2004) e Homem-Espuma (2006), a banda mostra para que veio com músicas muito bem trabalhadas.

Este aúdio foi capturado do DVD dos caras que foi gravado no Itaú Cultural em São Paulo logo antes deles gravarem seu 2º álbum e conta com participações dos também pernambucanos Tiago (Variant) e Karina Buhr (Comadre Fulozinha) - esta numa cover de Chico Science & Nação Zumbi.

A banda é também adepta do Creative Commons tanto que disponibiliza em seu site os seus dois CDs para download no free; de grátis.

Vale muito a pena curtir Mombojó. É uma banda de muito conceito. Claaaaaaasse!!!

Mombojó - Nada de Novo (Aúdio do DVD)

Lista:
01 - Discurso Burocrático
02 - A Missa
03 - Merda
04 - Adelaide
05 - Anarquia
06 - Estático
07 - Cabidela (Vermelho)
08 - Absorva
09 - O Céu, O Sol, O Mar
10 - Juízo Final
11 - Splash Shine
12 - Faaca
13 - Baú
14 - La Bundaracha
15 - Singular
16 - Duas Cores
17 - Nem Parece
18 - Amor De Muito
19 - Realismo Convicente
20 - Deixe Se Acreditar

sábado, 19 de abril de 2008

Índio

por A Lenda

Vida de pesca. Vida de caça.
Enfeites, colares.
Urucu pra representar a raça.
Guerreiros com as lanças aos ares.

Índio é índio.

Um povo que cabe
de tantos Pataxô, Tupi, Guarani.
Aldeia alegra se sabe
que tua terra é aqui.

Índio é índio
Ser índio é lindo.

Planet Hemp - Hemp New Year (1996)

Este é o predescessor de Usuário e o antescessor de Os Cães Ladram, mas a Caravana Não para. Este álbum traz remixes, músicas ao vivo e versões das primeiras músicas da banda. Uma raridade pra quem curte a banda. Clássicasso da (ben)dita Hemp Family. É curtir fazendo a cabeeeeça, broder!

Planet Hemp - Hemp New Year:

Lista:
01 - Dig Dig Hempa (Remix)
02 - Legalize já (Remix)
03 - Mantenha o Respeito (Ao vivo - RJ)
04 - Legalize Já (Ao vivo - RJ)
05 - Mary Jane (Ao vivo - RJ)
06 - Phunky Buddha (Demo Tape - 93)
07 - RAPROCKNROLLPSICODELIAHARDCORERAGGA (Demo Tape - 93)
08 - Mary Jane

O Dragão da Maldade contra O Santo Guerreiro

Esse filme é muito viagem! Filme de 1969 de Glauber Rocha trazendo de volta o personagem de Antônio das Mortes (Maurício do Valle), o matador de cangaceiros. O filme relata a história do povo do sertão nordestino que encabeçados pelo cangaceiro Coirana que chega a cidade com o intuito de tomar as terras do Coronel para si e seu povo. A música e os versos são pontos fortes no filme - principalmente o duelo de versos entre o cangaceiro Coirana e Antônio das Mortes.

Glauber Rocha fez dirigiu mais uma obra-prima do cinema nacional e sua visão fôra muito condizente como demonstrou a vida e os costumes do sertanejo nordestino e a reviravolta que a história dá. Excelente filme trazendo também no elenco Odete Lara, Othon Bastos, Hugo Carvana, Rosa Maria Penna, Lorival Pariz e Jofre Soares.

Filme muito claaaaaasse!!! Du caralho! Eu recomendo de veras. Quem puder assistir, assista que vale muito a pena, broder. Assim como tantos outros do Glauber.

Quem se interessar mais pelo trabalho dele pode acessar a página deste graaaaaande cineasta.



terça-feira, 15 de abril de 2008

Uma Questão Baudrillardiana*

O que vem a ser real hoje em dia? O mundo moderno é cheio de dissimulações e simulações quanto à questão do real. Já não sabemos mais ao certo como definir o real. Já não sabemos ao certo distinguir o real do fantasioso até porque estamos mais que normatizando um universo de simulacros para nosso bem. Em uma rápida dada por meu amigo, Guto Rafael, que disse que simulacro pode ser um "real que não é real, mas não é mentira". Como posso definir tal conceito? É como se um simulacro fosse uma extensão de nós mesmos onde projetamos a nossa imagem desejada projetando emoções e desejos nossos; assim como gostaríamos de ser. No Ciberespaço (Mundo Virtual) os simulacros são constantes. Eles podem ser representados através de fakes onde o usuário tende a projetar uma imagem que deseja para si para os olhos de outros. Muitas vezes no Ciberespaço o usuário mesmo se representa, mas sua total forma de comportamento é outra do mundo real. O que este artigo visa explorar é o fato de muitos estarem usando de simulacros para melhor passar chegando a acreditar em tais formas que tomam como a verdadeira em suas personalidades levantando a questão do que vem a ser o real hoje em dia. Será que o real deste mundo moderno em que vivemos é o que na verdade é o mundo fantasioso? O real já está perdendo seu espaço para um mundo onde todos podem projetar suas emoções e sentimentos mais reprimidos?

Deixe-me pegar alguns exemplos. O jovem Vinícius Gageiro Marques. Um adolescente de 16 anos que lia Kafka, era fã da banda Radiohead e tinha seus projetos musicais. Um adolescente prodígio diferente de muitos entre seu meio. Porém, pegaremos outro adolescente da mesma idade e intelectualidade de Vinícius chamado Yoñlu que também lia Kafka, era fã da banda Radiohead e também tinha seus projetos musicais. Mas através de algumas discussões em chats da internet que abordavam a temática do suicídio, Yoñlu tirou a própria vida em Julho de 2006, pouco mais de um mês de completar 17 anos. Uma vida que poderia ter sido de uma grandeza ao aprofundar suas aptidões artísticas. Então qual a diferença de Yoñlu para Vinícius? A fantasia e o real. Ambos eram a mesma pessoa. A diferença é que um existia no mundo real enquanto o outro fazia parte de um simulacro; uma projeção de Vinícius para o Ciberespaço. A questão maior é quem matou quem? Sim, pois já que se tratava de duas personas que por mais que de personalidades congruentes ambos já não se encontravam no mesmo plano. Um era o Jack o outro Tyler Durden (Clube da Luta - 1999). Mas até quando levamos em conta o que é o real e o que é fantasia? Quando a fantasia se torna mais real que o próprio real? Será que o problema está aí? Depois da morte de Vinícius, Yoñlu ficou mais conhecido e teve recentemente seu único trabalho realizado lançando um ábum que leva seu nome e grandes críticas (será que Yoñlu se tornou aluém maior que Vinícius?).

Outro exemplo - desta vez um mais infanto-juvenil. Vamos supor que o Super-Homem seja real; faça parte de nossa realidade. Então o que conhecemos como Super-Homem é o real, mas na verdade para ele, Lois Lane e seus pais o Super-Homem não passa de uma extensão de Clark Kent, o pacato jornalista. Porém, Clark Kent já é uma extensão de Kal-El, o último filho de Crypton. Como assim? Um simulacro pode ser um simulacro de outro? O que se passa na cabeça de uma pessoa assim? Para este personagem o real é Clark Kent, pois ele já assimilou isso em sua personalidade. É nisso que ele acredita, mas na realidade o que ele acha que é real para si é na verdade uma personalidade dada e adquirida.


O que quero argumentar aqui não é fato de que a internet seja uma máquina lobotômica com o intuito de enlouquecer e fazer as pessoas se alto destruírem. Isso qualquer meio massivo pode fazer. O problema é como devemos nos manter perante a fortificação destes meios, pois já que todos os dias somos bombardeados por novas informações e experimentações tanto no mundo real como no cibernético. O que tenho a me expressar é o fato de não deixarmos o fantasioso tomar conta do nosso real. Não esperem um mundo cheio de maravilhas porque este mundo não existe. Tome conta de sua vida. Não deixe os sonhos tomarem conta dela.

*Este artigo foi baseado na obra de Jean Baudrillard - Simulacros & Simulação
- LEIAM!!!

segunda-feira, 14 de abril de 2008

China - Simulacro (2007)

China é um puta cantor desde os tempos do Sheik Tosado. A banda tinha tudo pra ser uma das maiores do cenário musical pernambuco. Tinha não. Teve! Por mais que tivesse durado pouco tempo a banda foi uma das melhores. O foda é que acabou antes do tempo acabar. Mas China tá aí em carreira solo e cantando no Del Rey também - junto com alguns integrantes da banda Mombojó tirando covers do rei, Roberto Carlos.

Porém, o trabalho solo de China tá do caralho. O cara consegue ter a malemolência pra cantar bem bossinha, mas ao mesmo tempo pode rasgar no vocais. Escrevendo letras muito boas neste último álbum que precede seu 1º EP - Um só, ele se faz presente nas artes de fazer música boa como um excelente compositor.

É escutar pra crer.

China - Simulacro

Lista:
01 - Um Dia Lindo De Morrer
02 - Jardim De Inverno
03 - Sem Paz
04 - Asas Nos Pés
05 - Cancêr
06 - Colocando Sal Nas Feridas
07 - Durmo Acordado
08 - Canção Que Não Morre No Ar
09 - As Ondas Não Chegam Nos Pés
10 - Pastiche

domingo, 13 de abril de 2008

Desenhos - Karina Buhr

Quem conhece Karina Buhr sabe muito bem que ela é uma percussionista e cantora foda. Sabe que o trabalho dela na banda Comadre Fulozinha é um dos melhores no cenário musical de Recife. Mas o que poucos sabem é que além de musica, Karina realiza outros tipos de arte, como o desenho.






Integrante do Teatro Oficina Uzyna Uzona (onde projetos são implementados por seus artistas na elaboração de divulgar a arte, a cultura e a música), da própria cidade de Recife, esta pernambucana - que está para lançar seu mais novo trabalho solo - também se arrisca na artes plásticas.




Red People


Conhecida muito pelo batuques que tira na Comadre Fulozinha, Karina também impressiona nos traços dando uma identidade única as suas peças e expressão um regionalismo a seus desenhos.
Fantasma




Não sei dizer se ela pensa em lançar seus desenhos em alguma exposição. Mas se for de ser será uma exposição muito classe.







Green People









Não é babação pra cima da Karina. Ela é realmente uma artista excepcional. Seus trabalhos, tanto na Comadre como no solo e em seus desenhos, são trabalhos de conceito.




&







Pra quem não conhece vale muito a pena conhecer o trabalho dessa pernambucana que bota muito bicho escroto no chinelo. Quem conhece sabe que não é mentira.





Piriguete





Web:
Myspace - Karina Buhr:
Myspace - Comadre Fulozinha:
Teatro Oficina:

Ontem já faz um dia

por Guto Rafael

Ontem já faz um dia
porque o ontem não pode fazer dois dias.
Se o ontem pudesse fazer dois dias,
o hoje não seria o hoje.
Seria o amanhã.

E se o hoje fosse o amanhã,
o ontem não seria o ontem.
Seria o anteontem.

sábado, 12 de abril de 2008

The Funk Fuckers - Bailão Classe A (1998)

Extinta banda de B Negão. Clássico da também extinta Hemp Family. Esse álbum é foooooda! Pega uns Funk pancada junta com um Rap, Rock, Ska e Hardcore e tem isso: Bailão Classe A.

Que se foda a batida perfeita. Essa batida tá perdida. Tempo bom e som de prima é esse aqui. É som pra curtir alto e botar pra fuder no baile.

Clássicasso! Pancaaaaaaaaaada!!!



Lista:
01 - Intro (Tudin')
02 - Montagemdaniquilacao
03 - Inthahouse
04 - Instituição Falida II
05 - 2 Berlotas
06 - Marieta
07 - K
08 - Brasileiro
09 - Rappers Reais (Skunk Jammin' II)
10 - Mary Diesel
11 - Na Pressão
12 - Búlica
13 - Na Testa
14 - TUDACUDADUDA
15 - 021 (Original Style)
16 - Hold La (Big Pemba)
17 - DDM
18 - BPM
19 - A Cana