domingo, 11 de maio de 2014

Céu - Catch a Fire Ao Vivo (2014)

Um clááássico do reggae revitalizado por uma das melhoras cantoras da atualidade. Céu fez um show memorável, acompanhada duma banda fodástica, só fazendo releituras de Catch a Fire, disco mais do que consagrado para a história do reggae, do grande rei, Bob Marley.

O show rolou no Miranda (RJ), em março desse ano e o áudio está disponível pra download bem AQUI.


Playlist:
01 - Concrete Jungle
02 - Catch a Fire
03 - 400 Years
04 - Stop That Train
05 - Baby We've Got a Date (Rock It)
06 - Sitr It Up
07 - Kinky Reggae
08 - No More Trouble
09 - High Tide Or Low Tide
10 - All Day All Night
11 - Burnin' And Lootin'/Cordão da Insônia
12 - Catch a Fire

E pra quem quiser assistir, é só dar o play aí embaixo. Bom show and good vibrations!


domingo, 30 de dezembro de 2012

Sinhá Senhora

por Guto Rafael

Sinhá? Senhora?
Que há? Agora.
Desculpe a demora,
mas lá fora me prendeu.

A vida sofrida chora
pela esmola que não tinha pra dar.
Sinhá,
acabei de passar pela cora
de ver o que o mundo tinha pra falar.
Senhora!

Desculpe essa má hora,
mas tudo isso me apavora,
pois não há
um jeito de ir embora.
O que tem lá fora me rendeu.


A vida sofrida chora
pela esmola que não tinha pra dar.
Sinhá,
acabei de passar pela cora
de ver o que o mundo tinha pra falar.
Sinhá? Senhora?

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Cidade Suor

por Guto Rafael

Estação: 31° o ano inteiro,
de janeiro a janeiro,
nada muda em Fortaleza:
uns querendo ficar rico às custas da pobreza,
outros querem ganhar mais acabando com a beleza.
E o povo achando lindo, aplaudindo sem certeza.
Iracema já perdeu a inocência por dinheiro.
Hiperfaturaram a cidade pra faturar 1º.

Cidade Suor, cidade do calor.
Cidade que respeita só quem é doutor.

Cadê o coqueiro pra armar a minha rede?
Taparam a vista do mar com uma ruma de parede.
Bem na frente, aterraram o mar pro pôr do sol virar momento.
Alguém me diz aí como é que sal vira cimento?
Um ecossistema rico, tinha muito bicho em seu loteamento.
Mas perdeu tudo que tinha pra loja com estacionamento.
Não me venha com lamento nem reclame da sua sede,
Você preferiu dar o que tinha em vez de preservar o verde.

Cidade Suor, cidade do calor.
Cidade que respeita só quem é doutor.

O sabido vai vivendo de flozô,
charlando de 4x4 bem acima do valor.
Gastou o que tirou da buraqueira,
levando todo dia como se fosse sexta-feira.
Fazendo inveja a pedreiro e pirangueira,
que não muda em nada e só pensa em sair da liseira.
Besteira é esperar que alguém lhe faça um favor.
Sangue, sugam Fortaleza, mas prevalece meu amor.

Cidade Suor, cidade do calor.
Cidade que respeita só quem é doutor.

Tua hora tá chegando.
Pode passar os pano.
Na conversa, vão levando.
Pode passar os pano.

Cidade Suor, cidade do calor.
Cidade que respeita só quem é doutor.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Rio

por Guto Rafael

Quando a saudade chegar
e o rio fechar,
vai sangrar Fortaleza.
Quando o rio fechar
e só sobrar choro e tristeza,
o mar vai secar.

Quando o mar secar,
vai sangrar Fortaleza,
mas não sangra a represa.
Só lamento o teu sepultar.

Não tem água no pote
que bote uma gota no chão.

Não tem rio, nem rio
da inconsciência da população .

É fato concreto.
Cimento e concreto contra vegetação.

Não mangue que o mangue
não é uma besteira nem aquisição.

Cocó não é cocô.
Por favor, não enterre quem não morreu.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Maresia (Mar e a linha)

por Guto Rafael

Sopro que vem lá da praia
soprando gelado
em quem tá na beira.

Sopro que chega do fundo
soprando com tudo
vento com poeira.

Maresia, maresia.
Ô, marola!
Maresia.

Sopro que salga o cabelo
e brisa na pele
da menina faceira.

Sopro traz essa menina
que eu quero essa linda
pra vida inteira.

Maresia, maresia.
Ô, marola!
Maresia.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Vamô crowdiar tudo!

Faça aquilo que lhe der na telha! Não, não estou fazendo apologia ao anarquismo ou qualquer outro –ismo que você tenha em mente. Estou falando de um modelo de produção independente que chegou pra atender demandas específicas: as suas. Essa é a ideia do crowdsourcing. Provavelmente você já deve ter ouvido falar alguma coisa sobre isso ultimamente, e não, isso não mais a mais nova rede social da moda.

Crowdsourcing é um sistema de produção de conteúdo que atinge uma demanda de um determinado público pra resolver qualquer problema ou até mesmo desenvolver soluções viáveis pra todo mundo. É uma ferramenta de muito valor pra quem não quer ficar esperando dormindo por alguma coisa que é do seu interesse, como um show, um filme, uma revista em quadrinhos etc.

Ainda não entendeu? Belezinha! Vou citar aqui alguns exemplos (e o 1º foi quem me incitou a escrever sobre isso). Cidadão Instigado é uma banda cearense que já tem 18 anos de estrada; 1 EP e 3 CDs na bagagem; e agora estão pra lançar o 4º, mas isso só depende da gente. Vou explicar melhor: pra lançar o 4º álbum, a banda adotou o crowdsourcing como projeto de captação para a produção do disquinho. Junto com o site Sibite, os caras disponibilizaram pacotes de investimento para esse projeto com valores já definidos onde cada pacote tem sempre uma contrapartida diferente para os investidores. O projeto começou a rodar no último dia 9 de setembro e vai até 8 de março do ano que vem. (É! Tem prazo de validade. :/). Quem quiser conferir e participar dessa basta clicar aqui.


Outro exemplo, e um dos mais conhecidos do país, é o Queremos, um site que vende exclusivamente ingressos para shows. Mas calma lá! Não é qualquer show, é o show que você quer... Ok! Todo show que você vai é porque você quer. Porém, o Queremos ele traz aquelas
bandas gringas que dificilmente dão as caras por aqui. A ideia é a seguinte: eles contratam a banda, fecham com a casa de show, aluguel de equipamento de som, de luz etc. e quem ajuda a bancar tudo é você, amigo. Você e mais uma cambada de outros amigos. E assim como o 4º álbum da Cidadão Instigado, você tem tempo cronometrado pra que os ingressos se esgotem e você possa curtir. Se nem todos os pacotes não forem vendidos, não precisa se preocupar com seu rico dinheirinho. Os organizadores devolvem sua grana direto pra sua conta bancária.

Agora vou dar um exemplo #fail de uma galera que podia ter usado o crowdsourcing pra conseguir o que queria. Vários amigos meus do Facebook começaram a participar de um evento criado na rede social chamado The Strokes em Fortaleza. O evento encerra hoje às 20h e contou com a confirmação de 8.441 usuários do site. Ok! Todo mundo sabe que nesses eventos não dão metade do povo que clica no “Eu vou”. Mas, amigo... mais de 8 mil pessoas e um show do The Strokes? Lógico que através do crowdsourcing essa meta seria batida fácil! Quem sabe na próxima, né?


Agora que você já sabe como conseguir as coisas, não tem mais desculpa de ficar esperando pelos outros.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Fim de Feira???

A Feira da Música é um dos maiores festivais independente voltado para a música, arte e cultura do Brasil. Desde 2002, o evento, que tem Fortaleza como palco, vem gerando empregos e novos negócios para a indústria fonográfica, além de apresentar e lançar artistas - que não têm como recorrer ao mainstream para divulgarem seus trabalhos - em shows gratuitos.

Em 2011 (pra ser mais exato amanhã e vai até sábado), o evento comemora sua 10ª edição, mas pra quem pensa que essa vai ser a maior de todas, pisa no freio. Faltando 5 dias para o evento dar seus primeiros acordes, a Feira sofreu um corte de R$ 130 mil por parte de seu maior patrocinador (não darei nome aos bois).

Vendo a atual situação em que a Feira se encontra, seus organizadores resolveram arregaçar as mangas e, através das redes sociais, criaram o Clamor Manifesto - Feira da Música. Um manifesto para que o público possa ajudar através de doações, arrecadando grana suficiente para o evento para continuar dando o tom.

Então dê o play aí no vídeo...

Clamor Manifesto - Feira 10 from Coletivo Fórceps on Vimeo.


... e colabore, seja doando, seja divulgando. Só não podemos deixar a Feira acabar.